PRESS CREW: FERRAZ MODA

Você talvez (ainda) não conheça nenhum desses rostos e nomes que entrevistaremos a seguir, mas, com certeza, tem familiaridade, adora e/ou consome algumas das marcas que esse dream team assessora

À frente de uma das maiores agências de assessoria de comunicação do país, Carol Chichetti é cases de sucesso não só no concorridíssimo mercado nacional como no quesito network. Entre uma brechinha e oura da agenda abarrotada de compromissos dessa tropa, a inVoga se infiltrou e foi descobrir, na fonte, o segredo de sucesso de quem trabalha pelo sucesso dos clientes. Confira!

Você é o braço direito da Alice e, hoje, ocupa o cargo de Diretora Geral do Grupo Ferraz Moda. Como foi sua chegada à empresa e ascensão?

Faz seis anos que trabalho na empresa, que já tem 20 anos de atuação no mercado, e eu cheguei aqui de uma maneira muito inusitada. Uma pessoa que trabalhou comigo no passado acabou me indicando para uma vaga de gerente sem me avisar e, de repente, eu recebi uma ligação perguntando se eu gostaria de participar do processo seletivo. Eu até pensei que fosse algum engano, porque eu tava trabalhando em outro segmento, não tinha enviado nenhum currículo. Decidi arriscar, ver o que ia acontecer e me apaixonei por tudo. Foram aparecendo oportunidades, e o fato de eu ter um know howdiferente do da Ferraz – que é uma agência focada na indústria criativa – fez com que nós nos tornássemos complementares. A Alice foi me ajudando a entrar nessa área super estimulante onde, a cada dia, temos um desafio diferente e nenhuma rotina. Depois de dois anos, quando ela lançou o F*Hits, que é a segunda empresa da Alice, aconteceu uma reestruturação da equipe – até para que ela pudesse dar atenção ao novo projeto – e foi nesse momento que assumi o cargo de Diretora Geral.

Falando da F* Hits, que é uma plataforma digital pioneira, em quais aspectos ela é desafiadora?

O F*Hits tem uma dinâmica muito particular e, hoje em dia, é uma multiplataforma MCN (multi channel network) que possui diversos formatos de atuação, como TV, Youtube, blogueiras, youtubers, instagramers. O time é formado por cerca de 32 meninas, curadoria feita pela Alice Ferraz, que também as orienta, mas sem perder o próprio DNA, porque o mais importante é que elas mantenham a essência. Por ser uma empresa totalmente profissional – nós enxergamos esse mercado digital com seriedade – a pessoa que fizer parte da plataforma precisa realmente ter um conteúdo relevante, preparo e dedicação. O número de seguidores, no passado, traduzia o seu sucesso, mas, atualmente, não, porque você pode ter mais engajamento e resultado com uma pessoa que tem a metade dos seguidores de uma outra.

“DECIDI ARRISCAR, VER O QUE IA ACONTECER E ME APAIXONEI POR TUDO.”

Como você avalia hoje o papel das assessorias de imprensa, principalmente com o alcance da internet e dos smartphones?

Com certeza nós ganhamos muito mais trabalho e não podemos mais nos limitar aos meios tradicionais. Claro que continua sendo importante ter um bom relacionamento com a imprensa, ter bons cliques, mas tivemos que ampliar nosso escopo e, hoje, entregamos um planejamento de comunicação e marketing muito mais completo. Você tem que se envolver no dia a dia da marca e se preocupar com as vendas, porque os clientes querem ter sucesso, querem as pessoas desejando seu produto. Às vezes eles buscam fórmulas mágicas, mas isso não existe e, na verdade, o que você precisa é traçar um plano de comunicação, de marketing e também fazer um auxílio comercial para essas marcas. Há cinco ou seis anos, se você colocasse um anúncio em um grande jornal, revista ou se saísse em editoriais de moda, a divulgação estava feita. Hoje, você tem que estar em dia com o digital, criar relacionamento e estar com uma loja sempre maravilhosa. As suas mídias sociais são um canal direto com o consumidor, que ganhou voz.

Como assessoria, como vocês veem um veículo que antes era impresso e hoje também está online e qual a diferença para a marca entrar num veículo e entrar numa influenciadora, por exemplo?

O cenário mudou, mas os veículos continuam tendo muita relevância e credibilidade forte para as empresas, principalmente quando se trabalha a construção de uma marca, aí eles são fundamentais. Mas, hoje, o cliente quer tudo: o impresso, o digital e a experiência. Com as influenciadoras acontece o mesmo, porque existem vários tipos e em diversos formatos. Os vídeos estão em alta, e executar estratégias usando essa mídia é super válido, mas, de toda forma, tem que ampliar o leque e a abrangência, porque esse mercado é muito dinâmico, e você precisa dar alternativas ao seu público. A assessoria tem que oferecer esse 360° e mostrar que é capaz de atuar em todos esses canais.

Como você enxerga o potencial da região Nordeste hoje?

O Nordeste é fundamental em todas as nossas estratégias, e uma das questões que a Ferraz sempre trabalhou muito bem foram as regiões, porque, às vezes, o que funciona em São Paulo não funciona em outros estados. Buscamos estratégias diferentes: lançamos o macro e aí vamos de região em região avaliando como implementar. O Nordeste nos apresenta muitas oportunidades, marcas bacanas, além de um consumidor ativo, e a Alice tem feito muitas palestras por lá, sempre levantando a bandeira das marcas nacionais, e o Nordeste é um berço disso.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.